Itacaré quer ser o primeiro município da Bahia a adotar a Lei do Canudinho

Visando a proteção ambiental e a proteção de ambientes oceânicos, Itacaré quer ser o primeiro município do estado da Bahia a banir os canudos de plásticos dos estabelecimentos comerciais.

O Projeto de Lei 033, de autoria do Vereador Hamilton Soares Carriço Neto (Guri/PRB), está sendo analisada pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final e na reunião de ontem 18 setembro, subiu para o expediente do dia, porém, não houve votação e a reunião da Câmara Municipal teve que ser suspensa devido a falta de fornecimento de energia elétrica.

Essa lei, também, atende aos anseios da Recicla Itacaré, organização não governamental do município que desenvolve vários projetos de reciclagem e pleiteava essa conquista.

Cenário Nacional:

Proposição na Câmara dos Deputados de autoria do Deputado Victor Mendes

“Dispõe sobre a diminuição gradativa de fabricação, fornecimento e distribuição (gratuita ou onerosa) de canudos plásticos feitos de polipropileno e/ou poliestireno (materiais não-biodegradáveis) em todo território nacional e dá outras providências.” PDF

 

Proibição dos Canudos de Plástico

O mundo declarou guerra ao canudo de plástico. Segundo dados da ONG Ocean Conservancy, sediada nos Estados Unidos, foi o 7º item mais coletado nos oceanos em todo o mundo no ano passado.

No Brasil, o município do Rio de Janeiro se tornou a primeira cidade brasileira a proibir seu uso. Quem for flagrado usando o canudo errado, é intimado a substituir o produto no prazo de 60 dias. Para quem descumprir a lei, as multas podem chegar a R$ 6 mil.

Iniciativa semelhante tramita na Câmara Municipal de São Paulo. O projeto, de autoria do vereador Reginaldo Tripoli (PV), também busca banir o uso do canudo plástico dos estabelecimentos comerciais da cidade.

Em meio à busca por alternativas ao plástico, outras opções já vêm sendo usadas, como canudos de metal, de vidro e até comestíveis. Na Espanha, por exemplo, um grupo de amigos criou um canudo comestível, biodegradável e reciclável. Feito de açúcar, gelatina bovina e amido de milho, o Sorbos pode vir aromatizado em sete sabores diferentes (limão, lima, morango, canela, maçã verde, chocolate e gengibre) mas, segundo seus inventores, não altera o gosto da bebida.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *