Itacaré realiza jornada de diálogos sobre a Lei Emergencial Cultural

Ampliar cada vez mais o debate com os segmentos artísticos e culturais de Itacaré, mobilizando a todos para a implementação da Lei Aldir Blanc 14.017/2020 de emergência cultural para atender as necessidades dos artistas, agentes culturais e demais fazedores de arte e cultura do município. Esse é o objetivo da jornada de diálogos com a comunidade nos dias 9, 10 e 11 de julho, uma iniciativa da Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, em parceria com o Conselho Municipal de Políticas Culturais.

E as vídeo conferências sobre a implantação da Lei Aldir Blanc começam nesta quinta-feira, dia 09, às 18 horas, com o encontro com organizações culturais da sociedade civil, incluindo associações, coletivos, empresas e espaços culturais. Para participar basta acessar o Google Meet: hhttps://meet.google.com/wfq-oxiu-sbu ou acessar o QR Code dos cards. Maiores informações sobre como participar podem ser obtidas através da Secretaria de Turismo, pelo telefone (73) 3251-3922, ou com o Conselho Municipal de Cultura, pelo telefone (73) 9.9946-0370

Na sexta-feira o encontro será com as expressões artísticas e culturais, incluindo a música, dança, audiovisual, artes visuais, gastronomia, artesanato, literatura, teatro e moda. E no sábado, também às 18 horas, o encontro será com comunidades e fazeres tradicionais, incluindo quilombolas, terreiros, comunidades ribeirinhas, artesanato, capoeira, folguedos, brincadeiras, manifestações culturais e grupos. E no dia 12 acontecerá uma Miniconferência de Cultura Livre via Youtube, com a participação de representantes da Rede Estadual de Conselhos e Fórum Territorial dos Conselhos da Bahia.

A agenda de trabalho desenvolvida pela Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria de Turismo e Cultura, em conjunto com o Conselho Municipal de Políticas Culturais incluem reuniões semanais com as comissões setoriais, formação de Grupos de Trabalho responsáveis pela (re) elaboração do Sistema Municipal de Cadastro Cultural, plano de mídia e comunicação, com entrevistas via rádios, redes sociais, card informativo e mídias alternativas comunitárias, além da formação das comissões responsáveis pela elaboração dos editais e análise dos projetos encaminhados, em conformidade com o Artigo 2-inciso III da Lei Aldir Blanc.

Esse trabalho minucioso que conta com a contribuição de vários colaboradores tem trazido bons frutos, o que tem sido comprovado nos encontros setoriais de escuta da comunidade artístico-cultural através da participação ativa do público alvo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *